segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Padre Stanley é elevado a glória dos altares

Resultado de imagem para Padre Stanley defensor dos indios
O Cardeal Angelo Amato, Prefeito da Congregação das Causas dos Santos, presidiu neste sábado (23/9), em nome do Papa, em Oklahoma City, Estados Unidos, à Beatificação do Padre Stanley Francis Rother. Assim, após 36 anos do seu martírio, o “defensor dos índios” foi elevado à glória dos altares para a veneração dos fiéis. Padre Stanley Rother, sacerdote “fidei donum”, nasceu em 1935, em Oklahoma, EUA. Trabalhou, durante 13 anos, como missionário entre os indígenas Cakchiquel na Guatemala. Ele nada mais queria que cuidar do seu rebanho, na paz e na harmonia; era pacífico e dedicava todo seu tempo para ajudar o povo a melhorar a agricultura e a sua saúde.
Na época, vários paroquianos, inocentes camponeses, foram assassinados pelo Exército guatemalteco. Por isso, Padre Stanley escreveu uma carta denunciando tais atrocidades. Sua carta circulou pelos Estados Unidos, em vários jornais e revistas. Provavelmente foi este o motivo que o levou a ser assassinado.
Certo dia, o Exército convocou uma reunião com o povo, no parque central. O tenente do Exército e comandante do destacamento de 300 soldados em Atitlan, convidou o Padre Stanley a se sentar entre os membros da Presidência da Assembleia Popular, mas ele não aceitou e ficou entre o povo.
O comandante, tomando o microfone, repetiu insistentemente que a presença do Exército, naquele lugar, tinha uma missão de paz e tranquilidade. Por sua vez, o Padre Stanley pediu a palavra e falou:
"Quero manifestar ao senhor tenente e a toda a opinião pública da Guatemala que viver em paz e buscar a harmonia social são as  virtudes de Santiago Atitlan. Há treze anos vivo neste paraíso de paz e fraternidade e nada jamais perturbou este rebanho pacífico... até à chegada do Exército. Em um mês, este povo perdeu 28 de seus filhos, humildes e trabalhadores; as famílias procuram igrejas para dormir; não querem sair de suas casas, por temor à repressão; além de circular ameaças de morte... Então, é difícil acreditar na paz que nos oferecem...".
Ameaçado de morte, o missionário deixou sua paróquia por três meses e voltou aos Estados Unidos. Depois, tomou a decisão de voltar. Seu desejo era estar com o povo, apesar das ameaças de morte. As pessoas se reanimaram com a sua presença e gestos heroicos.
Padre Stanley foi assassinado em 28 de julho de 1981, por causa do seu trabalho com a população indígena. Três homens altos e fortes entraram no quarto, onde o sacerdote dormia. Quiseram levá-lo, mas ele não se entregou. Então atiraram nele. Assim, ele regou com seu sangue a terra abençoada dos maias, camponeses simples e pobres.
Hoje, na capela-mor da igreja paroquial, encontram-se dois vasos de barro, num cofre de metal, com o sangue e coração deste santo mártir, defensor dos índios.
Fonte- br.radiovaticana.va

Dia 25 de setembro - Memória a São Sérgio

Resultado de imagem para São Sérgio“Contemplando a Santíssima Trindade, vencer a odiosa divisão deste mundo”. Esta frase reflete a alma contemplativa do santo de hoje, São Sérgio, considerado o “São Bento” da Rússia cristã. Na antiga Rússia o Cristianismo penetrou por volta do século IX, sendo Vlademiro, o primeiro príncipe a se converter ao Cristianismo, isto em 1010. A religião do Cristo esteve sempre na Rússia, ligada mais ao Oriente do que a Roma. Monge Sérgio, tornou-se o grande evangelizador do século XIV, pois através de numerosos mosteiros irradiava a cultura e a verdadeira fé. Após deixar o declínio da vida monástica na Rússia, Sérgio experimentou, com seu irmão, a construção numa floresta virgem de uma capela dedicada à Santíssima Trindade, devoção desconhecida naquele povo. O irmão não aguentou, mas com firmeza e santidade, o santo de hoje atraiu a muitos até que edificaram um mosteiro em louvor a Santíssima Trindade.
Ordenado sacerdote para o melhor exercício da vocação de formar os monges na fundamental regra da oração e do trabalho, viveu São Sérgio: os “filhos”, a pobreza, a mansidão e total confiança na Divina Providência. São Sérgio escreveu tanto que é considerado o grande educador nacional do povo russo. Faleceu com quase 80 anos de idade em 25 de setembro de 1392 no mosteiro da Santíssima Trindade.
Fonte- http://santo.cancaonova.com/

domingo, 24 de setembro de 2017

Dia 24 de setembro - Solenidade de Nossa Senhora das Mercês

Dia 24 de setembro comemora-se um título expressivo de Maria, invocada como Nossa Senhora das Mercês ou da Misericórdia. Esta bela invocação remonta ao século XIII, época da dominação maometana(islamismo) na Península Ibérica. Os epígonos de Maomé faziam também incursões nas regiões litorâneas francesas e italianas. Muitos cristãos eram aprisionados e levados como escravos para o norte da África. Condenados a trabalhos forçados e a muitas privações, embora a maioria dos discípulos de Cristo permanecesse fiel à sua fé, vários, porém, desertavam. Para alcançarem a liberdade trocavam o Evangelho pelo Alcorão. Pedro Nolasco recebeu da Virgem Maria uma pulcra inspiração para fundar uma Ordem religiosa inteiramente devotada ao auxílio e redenção dos cristãos cativos. Dia 10 de agosto do ano de 1218, o Bispo de Barcelona na Espanha, D. Berenguer de Palou, com toda a solenidade, na Catedral, estando presente o monarca Jaime I, de Aragão, e grande número de católicos, presidiu a uma cerimônia que marcaria a História da Igreja. Com efeito, Pedro Nolasco e Treze Cavalheiros se consagraram a Deus e se propunham oficialmente a se dedicarem à Redenção dos cristãos escravos que corriam grande perigo, inclusive, de traírem sua crença religiosa. Grandes os benefícios prestados pelos mercedários àqueles que estavam sob o jugo dos mouros. A ordem aprovada pelo Papa se espalhou pela Europa e, descoberta a América, estes religiosos viram um campo aberto para suas atividades, agora junto aos selvagens, depois, na proteção dos escravos africanos. No século XVII em pleno ciclo do ouro, nas Minas Gerais, a Irmandade de Nossa Senhora das Mercês se estabeleceu em Ouro Preto. Espalhou-se depois para outras regiões mineiras como Diamantina, São João Del Rei, Mariana, Sabará, Santa Bárbara onde belos templos lhe foram edificados. Isto ocorreu também em outras partes do Brasil como São Luís do Maranhão, Belém do Pará, Rio de Janeiro. O padre Antônio Vieira assim se expressou sobre esta devoção: “Nossa Senhora da Vitória é dos conquistadores; Nossa Senhora das Mercês é de todos, porque a todos indiferentemente está prometendo e oferecendo todas as mercês que lhe pedirem. Nos tesouros das Mercês desta Senhora não só há para o soldado vitória, para o desterrado pátria, para o descaminhado luz, para o contemplativo favores do Céu, mas nenhum título há no mundo com que a Virgem Maria seja invocada que debaixo do amplíssimo nome de Nossa Senhora das Mercês não esteja encerrado e que esta Senhora se não deva pedir com igual confiança. Estais triste e desconsolado? Não é necessário chamar pela Senhora da Consolação, valei-vos a Senhora das Mercês que Ela vos fará mercê de vos consolar. Estais aflito e angustiado, não é necessário chamar pela Senhora das Angústias, vaile-nos da Senhora das Mercês e Ela vos fará mercê em vossas pretensões [...] De sorte que em todos os despachos que a Senhora costuma dar em tão diferentes tribunais, como os que tem pelo mundo, todos estão avocados a este título das Mercês, porque por ele se fazem todos”. Neste contexto histórico do consumismo deste inicio do terceiro milênio, a Senhora das Mercês liberta da escravidão do luxo, dos gastos inúteis do pecado. Cumpre orar a ela para não deixar o mundo cair nas garras do terrorismo internacional e que ela dê paz às nações. Título, portanto, atualíssimo este e venturosos os que se colocarem sob a égide desta Senhora tão poderosa, invocando-a com denominação tão expressiva.
Fonte- http://www.a12.com/

sábado, 23 de setembro de 2017

Gendarmaria Vaticana completa 201 anos de serviço ao Santo Padre e à Igreja

Resultado de imagem para Gendarmaria VaticanaNa manhã deste domingo (24/9), antes da oração do Angelus, o Santo Padre vai presidir a uma Santa Missa, diante da Gruta de Lourdes, nos Jardins Vaticanos, pela festa do Corpo da Gendarmaria, que completa 201 anos de serviço ao Santo Padre e à Igreja. A respeito dos 201 anos de história destes militares, o Comandante do Corpo da Gendarmaria dos Estado e Cidade do Vaticano, Domenico Giani, disse textualmente:
“Para mim, a história da Gendarmaria parte de longe. Toda a sua história resume-se na palavra serviço e doação ao Papa e à Santa Igreja. Nosso primeiro passo e cumprir, com serenidade e dedicação, o nosso dever, sem deixar-nos condicionar por fatores exteriores. Somos um Corpo de polícia encarregado pela segurança e as relações com as outras forças militares, italianas e estrangeiras. Para nós serviço significa também ser testemunhas da sequela do Senhor... O respeito da dignidade humana, no âmbito do respeito das regras, é outro elemento que nos caracteriza. Gendarmaria quer dizer estar próximos às pessoas, do melhor modo possível e humano”.
Fonte- http://br.radiovaticana.va

Dia 23 de setembro - Memória a São Pio de Pietrelcina

Resultado de imagem para São Pio de PietrelcinaEste digníssimo seguidor de S. Francisco de Assis nasceu no dia 25 de maio de 1887 em Pietrelcina (Itália). Seu nome verdadeiro era Francesco Forgione. Ainda criança era muito assíduo com as coisas de Deus, tendo uma inigualável admiração por Nossa Senhora e o seu Filho Jesus, os quais via constantemente devido à grande familiaridade. Ainda pequenino havia se tornado amigo do seu Anjo da Guarda, a quem recorria muitas vezes para auxiliá-lo no seu trajeto nos caminhos do Evangelho. Conta a história que ele recomendava muitas vezes as pessoas a recorrerem ao seu Anjo da Guarda estreitando assim a intimidade dos fiéis para com aquele que viria a ser o primeiro sacerdote da história da Igreja a receber os estigmas do Cristo do Calvário. Com quinze anos de idade entrou no Noviciado da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos em Morcone, adotando o nome de “Frei Pio” e foi ordenado sacerdote em 10 de agosto de 1910 na Arquidiocese de Benevento. Após a ordenação, Padre Pio precisou ficar com sua família até 1916, por motivos de saúde e, em setembro desse mesmo ano, foi enviado para o convento de São Giovanni Rotondo, onde permaneceu até o dia de sua morte. Abrasado pelo amor de Deus, marcado pelo sofrimento e profundamente imerso nas realidades sobrenaturais, Padre Pio recebeu os estigmas, sinais da Paixão de Jesus Cristo, em seu próprio corpo. Entregando-se inteiramente ao Ministério da Confissão, buscava por meio desse sacramento aliviar os sofrimentos atrozes do coração de seus fiéis e libertá-los das garras do demônio, conhecido por ele como “barba azul”. Torturado, tentado e testado muitas vezes pelo maligno, esse grande santo sabia muito da sua astúcia no afã de desviar os filhos de Deus do caminho da fé. Percebendo que não somente deveria aliviar o sofrimento espiritual, recebeu de Deus a inspiração de construir um grande hospital, conhecido como “Casa Alívio do Sofrimento”, que se tornou uma referência em toda a Europa. A fundação deste hospital se deu a 5 de maio de 1956. Devido aos horrores provocados pela Segunda Guerra Mundial, Padre Pio cria os grupos de oração, verdadeiras células catalisadoras do amor e da paz de Deus, para serem instrumentos dessas virtudes no mundo que sofria e angustiava-se no vale tenebroso de lágrimas e sofrimentos. Na ocasião do aniversário de 50 anos dos grupos de oração, Padre Pio celebrou uma Missa nesta intenção. Essa Celebração Eucarística foi o caminho para o seu Calvário definitivo, na qual entregaria a alma e o corpo ao seu grande Amor: Nosso Senhor Jesus Cristo; e a última vez em que os seus filhos espirituais veriam a quem tanto amavam. Era madrugada do dia 23 de setembro de 1968, no seu quarto conventual com o terço entre os dedos repetindo o nome de Jesus e Maria, descansa em paz aquele que tinha abraçado a Cruz de Cristo, fazendo desta a ponte de ligação entre a terra e o céu. Foi beatificado no dia 2 de maio de 1999 pelo Papa João Paulo II e canonizado no dia 16 de junho de 2002 também pelo saudoso Pontífice. Padre Pio dizia: “Ficarei na porta do Paraíso até o último dos meus filhos entrar!”
Fonte- http://santo.cancaonova.com/

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Dia 22 de setembro - Memória a São Maurício e companheiros mártires

Resultado de imagem para São Maurício e companheiros mártiresHoje Roma, muitas vezes é chamada de Cidade Eterna, onde encontramos a Cátedra de São Pedro, ocupada pelo atual Papa Francisco. Roma é considerada pelos católicos como sinal visível do Sacramento Universal da Salvação, a Igreja; porém, para que isto ocorresse, muitos mártires deram a vida para “comprarem” com o sangue a vitória do Cristianismo sobre o Império Romano, que em 381 dobrou os joelhos diante do verdadeiro Deus e verdadeiro homem: Jesus Cristo. São Maurício e companheiros faziam parte da tropa dos valentes guerreiros e mártires do Senhor, que estiveram envolvidos no massacre da Legião Tebana. O imperador Diocleciano, precisando combater as tropas que ameaçavam o Império no Oriente, foi ao amigo Maximiano para que o mesmo organizasse um forte exército. Tendo feito progresso, o imperador mandou que o exército parasse para descansar e oferecer sacrifícios aos deuses em sinal de agradecimento. Imediatamente os soldados cristãos se opuseram a tal ordem: “Somos teus soldados e não menos servidores de Deus. Sabemos perfeitamente a nossa obrigação como militares, mas não nos é lícito atraiçoar o nosso Deus e Senhor. Estamos prontos a obedecer a tudo que não contrarie a lei de Jesus Cristo.” Começaram a matar parte deste grupo e o oficial Maurício com seus companheiros foram os que mais se destacaram pois acolheram, por amor e fé em Jesus Cristo, a palma do martírio, dando assim, o mais perfeito testemunho. Providencialmente, ou seja, como sinal da grande fidelidade destes cristãos, o local à beira do Rio Ródano ficou conhecido como Martigny, nome que deriva de mártir. Este fato ocorreu por volta do ano 286, e é certo que no século seguinte foi elevada uma basílica no lugar da execução e que, no ano 520, Sigismundo, rei da Borgonha, construiu lá um mosteiro que subsiste ainda e deu origem à cidade de São Maurício na Suíça.
Fonte- http://santo.cancaonova.com/